Yom Kipur – Dia do perdão

yom-kippur

YOM KIPUR  -

Yom Kipur é o dia do perdão, que acontece no último dos dez dias de contrição que se inicia no Rosh Hashaná (Ano Novo) e é marcado pelo jejum de 24 horas, por muitas orações, pela meditação e arrependimento. No ano de 2013 começa no por do sol do dia 13 de Setembro. O Yom Kipur acontece no 10º dia do mês Tishrei (Setembro ou Outubro).

Yom Kipur, Dia do Perdão, Dia do Julgamento, é o mais sagrado dos feriados judaicos, é o dia mais santo do ano, o “Shabat dos Shabatot”.

É o momento onde os judeus reservam para passar em revista as próprias más ações. Os judeus ortodoxos tradicionalmente fazem confissões sobre erros cometidos e fazem promessas de não cometer mais erros. Além disso, é a oportunidade que cada judeu tem para estender a mão ao inimigo, esquecer ofensas e agradar a Deus.

Yom Kipur é o aniversário do dia em que Moshé (Moisés) trouxe as segundas Tábuas da Lei, do Monte Sinai (as primeiras foram quebradas quando Moshe viu o povo idolatrando um bezerro de ouro). Isto significou que Deus havia perdoado o Povo de Israel por terem feito idolatria. Dali para frente, este dia foi decretado como o dia para o perdão.

A celebração lembra o dia em que o Sumo Sacerdote entrava pela única vez no Templo, no Santo dos Santos, o lugar onde ficava a Arca, para fazer expiação pelo pecado de todo o povo e pelo seu próprio. Nesta ocasião, dois bodes eram trazidos ao Templo. Um era sacrificado pelas transgressões de todas as pessoas, e o outro era levado para fora do acampamento, e solto no deserto. Ele é o bode expiatório, que carrega todos os pecados para longe do povo, e é disto que vem a tal expressão “bode expiatório”.

Em Israel se faz solenidades em memoria da Guerra de Yom Kipur, que aconteceu em  6 a 26 de Outubro de 1973 quando o Egito e a Síria lançaram um ataque surpresa contra Israel no Yom Kipur.

Nesse dia se lê o livro de Jonas, que preveniu os cidadãos de Nínive da destruição que viria sobre eles por causa de seus pecados. Eles se arrependeram e foram perdoados  sendo cancelado o decreto de destruição.

A base bíblica para esta festa é:  Levítico 23.27-32

 Mas aos dez dias desse sétimo mês será o dia da expiação; tereis santa convocação, e afligireis as vossas almas; e oferecereis oferta queimada ao SENHOR. E naquele mesmo dia nenhum trabalho fareis, porque é o dia da expiação, para fazer expiação por vós perante o SENHOR vosso Deus. Porque toda a alma, que naquele mesmo dia se não afligir, será extirpada do seu povo. Também toda a alma, que naquele mesmo dia fizer algum trabalho, eu a destruirei do meio do seu povo. Nenhum trabalho fareis; estatuto perpétuo é pelas vossas gerações em todas as vossas habitações. Sábado de descanso vos será; então afligireis as vossas almas; aos nove do mês à tarde, de uma tarde a outra tarde, celebrareis o vosso sábado.

TRADIÇÕES JUDAICAS:

Kaparot – Na véspera de Yom Kipur, era costume fazer kaparot, um tipo de cerimonia em que se repetia uma frase como esta: “Esta galinha está em meu lugar, me substitui e é meu perdão. Esta galinha morre e eu entro para uma vida longa e aprazível”.

No Yom Kipur é costume  vestir roupa branca (chamada Kitel). O branco é um símbolo de pureza, lembrando o texto bíblico  Isaías 1:18  ”ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.”

JUDEUS MESSIÂNICOS

Para os Judeus Messiânicos, judeus que crêem em Jesus, Yeshua ha Mashiach, como o Messias, o Salvador, Yom Kipur é um dia de jejum de gratidão, jejum de louvor pelo perdão dos nossos pecados, pela redenção através do Sangue de Jesus.

A Bíblia ensina em Hebreus, que nesse rito religioso, Yeshua assume a função de sumo sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque.

Hebreus 2:17: Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo.

Hebreus 3:1: Por isso, irmãos santos, participantes da vocação celestial, considerai a Jesus Cristo, apóstolo e sumo sacerdote da nossa confissão.

Hebreus 4:14-16: Visto que temos um grande sumo sacerdote, Jesus, Filho de Deus, que penetrou nos céus, retenhamos firmemente a nossa confissão. Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno.

por Sarah Behar.

Author: NúcleodaFé

Share This Post On

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>